• 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14

Cana o Isotônico do Ciclista

banner cana valeboaventura

O caldo de cana é uma bebida extraída da cana de açúcar que se consome in natura. Grande companheiro do pastel de feira e em alguns lugares consumido com sabores diferentes, como morango, limão, maracujá e outros, o que o torna muito mais calórico. Mas você sabia que ele pode te ajudar nos treinos de ciclismo? A bebida é uma ótima opção para ser consumida pré ou pós treino, a nutricionista Amanda Rodrigues nos contou tudo sobre seus benefícios.

Leia mais...

1° Etapa pedal Terral 2018 e projeto Novo Equilíbrio

terral 1 etapa 2018

A primeira etapa do pedal terral 2018 agitou o vale com mais de 250 ciclistas participantes do evento.

Evento contou com percurso de 20 e 40 quilômetros pelo roteiro turístico Vila d Itália. , passando por importantes pontos turísticos de Gaspar.

O evento também teve a segunda participação do Projeto Vale Boa Ventura - Novo Equilíbrio trazendo as Balance bike Nathor para criançada se divertir.

Como sempre o espaço terral contou com excelente infraestrutura e um excelente almoço.

Lembrando que aos finais de semana o Espaço terral agora esta fazendo almoço (Fique ligado no Instagran do espaço terral).

O local possuía vários atrativos, como voo de parapente e Balonismo.

Veja as fotos do Vale Boa Ventura com o Projeto Novo Equilíbrio e tambem a bordo do balão.

Leia mais...

Bicicletário Anjo do Ciclista - Gaspar Igreja Matriz

Bicicletario Anjo do Ciclista Gaspar SC

Foto Igreja Matriz Católica de Gaspar (Bicicletário do Projeto Anjo do Ciclista) 

Em Janeiro entramos em contato com a administração da Igreja matriz de Gaspar.

Na oportunidade falamos sobre os benefícios e segurança que o modelo de bicicletário em R traz aos ciclistas.

Apresentamos  o projeto e seus benefícios e durante estes meses fomos interagindo com a Igreja para que o projeto fosse realizado.

 

Leia mais...

Portal Ciclo Aventureiro com Juli Hirata # Extremos das Américas # Episodio 1 Alasca

Juli Hirata esta com a Vale Boa Ventura nesta nova serie que denominamos Ciclo Aventureiros.

Conheça mais sobre Juli Hirata nesta entrevista da revista Bicicleta, Clique no link: Juli Hirata

Link: Juli Hirata

#  O Inicio que eu pedi a todas as deusas e deuses! - parte 1

 04.05.2016 Fonte Blog Juli Hirata / Ciclo Aventureiros

Antes de voar pra Deadhorse/Prudhoe Bay, dois Guilhermes muito especiais me escreveram o mesmo conselho: siga seus instintos.

Achei engraçada a coincidência de duas pessoas que não se conhecem e com o mesmo nome me darem o mesmo conselho. Dentro do avião vazio, entre o encantamento com a paisagem branca lá fora e uma turbulência fiquei pensando o quão difícil é pra mim entender a diferença entre meu instinto e minha razão.

No voo completamente vazio entre Fairbanks e Deadhorse/Prudhoe Bay.  

A Dalton Highway foi o início perfeito pra mim. Muito mais dura, mais difícil, (muito mais) fria, isolada e bonita do que eu havia imaginado e por todas essas razões, foi perfeita. Sem dúvida, de longe, a minha pedalada mais difícil até hoje.

Os primeiros dias de pedal foram os mais duros e frustrantes. Eu havia estudado a altimetria desse trecho e a variação era de 5m de altitude somente, se eu tivesse vento ao meu favor seria muito tranquilo bater a meta de 90km em um dia (lembrando que lá amanhasse as 5:40 e “escurece” as 23:30) inteiro de pedalada, certo?

Tem um ditado aqui no Alasca que diz que aqui quem manda é o Alasca e eu complemento, a Dalton Highway é o filho único mimado do chefe. Eu nos meus ingênuos e otimistas planos “esqueci” de consultar o chefe mor.

Eu estava carregando comigo além do equipamento usual, mantimentos para 15 dias de pedalada e 4 litros de água (que nas primeiras horas ainda era líquida). Eu mesma estava “geometricamente” e “motoramente” diferente, estava vestindo duas meias de lã grossa, um aquecedor químico para pés, dentro da minha velha bota que estava coberta por uma capa corta-vento e a prova de água; três calças sendo uma térmica, uma com refletor de calor e a calça corta-vento por cima. 

Uma luva dupla com Gore-tex, uma balaclava com concha respiratória, um gorro e 5 blusas com camadas com diferentes funções. Os óculos escuros e um colete refletivo laranja fosforescente que eu ganhei de presente no alojamento que fiquei hospedada eram as “cerejas” do imenso bolo de camadas que eu havia me tornado.

Depois de uma extensa sessão de fotos na entrada do alojamento um súbito senso de urgência me tomou! Eu tinha que sair! Eu tinha que sair naquele momento! Eu estava acompanhando a velocidade e direção do vento desde as 5:10 da manhã e por volta das 8:30 finalmente o vento atingiu a velocidade de 9 mph (cerca de 14km/h) depois de uma noite oscilando entre 25mph e 17mph. Eu tinha que sair logo!

No hall do alojamento em Prudhoe Bay.

 Com a bike na “rua” olhei ao redor e só vi branco. Liguei a câmera e comecei a pedalar.

“meu Deus! a bike está pesando uma tonelada!” eu pensei.

Na saída do estacionamento, procurei pela marca mais escura no chão que indicava a “rua” sob a neve e gelo. O pneu com as tiras que eu havia instalado para aumentar o atrito com o gelo pareciam quebrar algo o tempo todo no chão. Fora esse barulho, o silencio era absoluto! Uma van passou por mim enquanto eu estava parada, olhando o inicio da estrada. Tirou uma foto e eu perguntei:

“Essa é a Dalton Road” - numa tentativa de diminuir a estrada

“Sim, essa é a Dalton HIGHWAY!”

Agradeci e olhei de novo pra aquela linha escura cortando o branco absoluto. Eu estava apavorada, emocionada e já com frio. Era 10:30, hora de começar.

Respirei fundo e comecei a pedalar, meu coração bateu mais forte e eu quase não tive tempo de sorrir quando a bike simplesmente saiu debaixo de mim! Fui pro chão! Gelo! Deitada, puxei a bike pra perto de mim e comecei a rir! Gargalhar!

“Já?!”

Olhei no relógio e nem 5 minutos haviam se passado! Nem 5 minutos!!!

Que começo! 

A Dalton Highway alguns quilômetros ao sul de Pruhoe Bay. Por conta da neve e do gelo quase não se percebe o limite entre a estrada e a Tundra congelada. 

 Depois dessa queda, cai mais umas 200 vezes! Sem exagero, cai muito, cai de todos os jeitos e ri muito! A cada queda eu ficava melhor na arte de cair…

Toda vez que eu achava que estava pegando a manha de pedalar nas placas de gelo, eu caía. 

Depois de 4 horas caindo e só 20kms rodados senti que era hora de parar. Eu precisava descansar e as quedas estavam perdendo a graça. Eu não estava fisicamente cansada mas estava tensa com todo o esforço pra manter a bike de pé. Eu estava com fome e muita sede.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Acompanhe e Inspiri-se. 

 

 

Estabelecimento Anjo do Ciclista - Bendito Posto em Gaspar

Bendito Posto é o novo estabelecimento Anjo do Ciclista em Gaspar

Bendito posto

O Bendito Posto é o primeiro estabelecimento da cidade a ter estrutura paraciclo destinado a todos os tipos de bikes do mercado. ( MTB - Fixa e Speed)

Ciclistas de Gaspar e região ( Brusque, Blumenau e Cidades do Vale) tem um novo ponto de abastecer suas Energias, pois no Bendito Posto temos estrutura para acomodar os  ciclistas. Agora contamos com Bicicletário do Projeto Anjo do Ciclista para os ciclistas disfrutarem com segurança da conveniencia e serviços ofertados.

Leia mais...

Trilhas de Bike SC

BANNER SITE TRILHAS JPG

 

Projeto Vale Boa Ventura - Trilhas de Bike 
 
A Vale Boa Ventura vem através deste projeto Trilhas de Bike SC, divulgar as iniciativas e grupos das cidades que possuem trilhas.
Em nossa regiao os grupos que conduzem as açoes nas trilhas sao. 
 
Grupo de pedal Bela Vista.
zica team UBNC VBV
 
 

O Projeto visa a criação de trilhas originais de Bike em integração e respeito a natureza.

O projeto tem a missão de criar, aprimorar e preservar trilhas e oportunidades para mountain bikers. Também incentivar a prática responsável do mountain bike, dar suporte para trabalhos voluntários na criação e manutenção de trilhas, dar apoio para gestores de áreas públicas na gestão das trilhas e promover e melhorar as relações entre os diferentes grupos de usuários de trilhas.

O trabalho voluntário, o envolvimento da comunidade de mountain biker de forma unida e organizada é a chave para um caso de sucesso. Hoje a América do Norte conta com milhares de quilômetros de trilhas públicas desenvolvidas para o mountain bike e a aceitação por parte de gestores públicos, proprietários de terra e pelas comunidades do entorno é total. A promoção deste tipo de atividade revelou notado incremento econômico, aproximação das pessoas da natureza além de promover saúde.

Cidades das Trilhas 

  • Blumenau
  • Gaspar
  • Ilhota

 

 

 Vídeo: Serviu de inspiração para o Projeto 

Equipe já possui mas de 30 bikers. 

Conheça a Primeira Trilha de bike de Gaspar _ Trilha dos Neves

Trilha Feita em 2017 pelo Vale Boa ventura e Pedal Bela Vista

Gaspar Ganha novo atrativo para bikers.

Criada no final de 2017  a rilha foi batizada  pelos integrantes como Trilha dos Neves, a primeira trilha do projeto fica localizada no Bairro Bela Vista.

Os encontros são programados para os sabados a tarde e tambem durante a semana, onde a equipe vai e constroi limpa e cria mais amizades e inclusão com a natureza.

Conheça a Trilha dos Neves neste vídeo na integra feito pela equipe Vale Boa ventura em 09/12/2017

Trilha já esta totalmente sinalizada e com dois espaços de convivência ( Bancos para todoa familia desfrutar desta aventura)

 

Conheça um pouco dos trabalhos de mapeamento que a Vale Boa Ventura já efetuou em Gaspar e região clique no link: Rotas

Conheça o Mapa Colaborativo online contendo rotas, grupos, ciclovias clicando no Link: Mapa

 

Enquete

Qual o morro mais difícil de Blumenau ?
jack.jpg
jack.jpg
convite-jpg.jpg
convite-jpg.jpg