• 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13

Morro do Spitzkopf

O morro Spitzkopf (numa tradução literal do alemão "cabeça pontuda") é uma montanha no município brasileiro de Blumenau, com 936 metros de altitude ( a altura oficial pelo IBGE é de 913 metros e 98 cm). Situa-se no Parque Ecológico Spitzkopf, cuja área é de mais de 5.000 m² de Mata Atlântica, piscinas naturais, cascatas e riachos.

O morro Spitzkopf foi escalado pela primeira vez, em 1872, pelo comandante das Guardas de Batedores do Mato - Friedrich Deeke (oficialmente investido na função com o nome aportuguesado: Frederico Deeke). Em 19 e 20 de julho de 1892 a montanha foi escalada pelos excursionistas Otto Wehmuth, Christian Imroth, Fritz Alfarht e outros.

Em 17 de julho de 1929, foi criado o Spitzkopf - Klub, tendo como diretor Otto Huber, secretário Rudolf Hollenweger, cobrador Alfredo Gossweiler, rancheiro, guarda da cabana, Fritz Hasse. Proprietários Paul Scheidemantel, Gauche (alfaiate) e Wünsch. Sobre o Spitzkopf há farta literatura contida na Revista Blumenau em Cadernos, entretanto merece especial referência o fato de haver sido escolhido pelo professor Max Humpl para lá, numa altitude de 750 metros (segundo consta do diário de Max Humpl sua casa situar-se-ia aos 500 metros), quase no topo da montanha de 938 metros, construir sua residência.

Fizemos um Trekking 144 anos depois que ele foi escalado pela primeira vez. Subimos dia 23 de Julho de 2016 em um grupo de 9 pessoas. Alguns nunca tinham feito a trilha, outros porém já tinham uma experiência anterior na subida do morro Spitzkopf. Os pontos positivos ficam por conta da paisagem, natureza e a linda vista no alto do cume do "spitz". Pode-se ver o morro do Baú, o morro do Cachorro e em dias claros até as cidades litorâneas e o mar. Cachoeiras imponentes e córregos serpenteavam o caminho até o alto. Mas infelizmente os pontos negativos estão presentes e notamos um abandono assustador nas atrações do parque. Alguns anos atrás era possível levar a família e alugar uma churrasqueira na base no parque, até uma pequena hospedagem estava disponível aos visitantes. Atualmente a siatuação é precária. Não entendemos se o parque é particular ou municipal, pois quem nos recebeu foi uma senhora que se intitulou proprietária. Chamada "Kolka" exigiu logo o dinheiro da entrada e não havia negociação sobre ser estudante ou não. A "proprietária" que ditava as regras. O controle de quem entrava ou saia era feito rapidamente em um caderninho e não recebemos nenhum ticket, passe ou carimbo pela entrada.

Na trilha muitos sinais de desmatamento recentes e em alguns pontos era possível encontrar os troncos na beira da trilha com marcas de motoserra. Percebemos que alguns pastos estavam sendo produzidos com a derrubada de áreas de madeira. Não há sinalização eficiente, encontramos apenas uma placa quebrada no meio do caminho. Uma placa de madeira é algo bom e barato que valoriza muito o percurso da trilha. Até no cume do Spitzkopf poderia ter um marco, um totem, apontando as direções das cidades que podiam ser avistadas do topo. Um pouco de capricho não faz mal a ninguém. Porém a falta de infraestrutura é algo que chama atenção negativa para o percurso.

Neste dia, certamente mais de 60 pessoas fizeram a trilha. Nosso grupo foi o primeiro a chegar ao topo, mas logo em seguida vários grupos chegavam a todo instante. Famílias, casais, grupos só de mulheres e até crianças. Na descida encontramos muitos subindo a trilha. Até um grupo corajoso pedalando morro acima. É uma pena que um lugar tão conhecido em Blumenau esteja jogado ao descaso. É uma pena que este parque receba tantas pessoas e não consegue prestar uma atenção positiva aos seus visitantes. É uma pena. Falta um pouco de cuidado, falta carinho com o Spitzkopf.

O que mais você precisa saber ?

• Fica a 15 quilômetros do Centro de Blumenau, na Rua Bruno Schreiber, 3.777, no Progresso.

• O horário de visitação é aos sábados, domingos e feriados, das 7h às 18h.

• Adultos pagaram R$ 10, estudantes e crianças até 12 anos, R$ 5 e crianças até 6 anos não pagam.

• Tem cinco milhões de metros quadrados de mata atlântica, com nascentes, cascatas, trilhas.

• Da base ao topo são 6 quilômetros. O percurso pode ser feito a pé ou de bicicleta.

 Informações Complementares

Distância
Tempo Médio
Altitude Acumulada
Altitude Máxima
Dificuldade
6 Km subindo
6 Km descendo
 3 a 4 Horas
 
 913,98 metros
 nivel dificuldade1
Níveis de Dificuldade
Ponto de Encontro
O que levar?
Horário de Saída
Mapas
Indicado para
Parque Spitzkopf, fim da
Rua Bruno Schreiber, 3777
Progresso, Blumenau - SC 

bag icon 

 07:00 am
maps icon trek icon mtb icon   

Galeria de Fotos

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Enquete

Qual o morro mais difícil de Blumenau ?
logo_quemsomos.jpg
Sem Imagens
Sem Imagens
Sem Imagens